Deus tocou o meu coração e minha alma,
abrindo meus olhos para a verdadeira essência da vida.

28 de maio de 2017

Quebrando a cara.

Sempre é bom refletir sobre quem realmente somos; e para isso, nada melhor do que fazer perguntas a si mesmo do tipo:

- Será que sou orgulhoso? Eu sou caridoso? Honesto? Sou bom ou mau?

Na oração do Pai Nosso, ao final, a expressão “livrai-nos de todo o mal” o que será que ela significa?

De mim para comigo mesmo, creio sinceramente, que problema não é o mal que o outro nos faz, e sim o mal que nós fazemos ao outro. O mal que nos fazem é problema do outro, agora o mal que praticamos esse sim é problema nosso.

Então Senhor: livrai-nos do nosso próprio mal.

E assim seguimos, tropeçando e caindo nas nossas próprias armadilhas; as quais criamos em nossa mente, invariavelmente com base em três premissas: ociosidade, saciedade e principalmente pela falta de fé.

Aliás, nós não compreendemos nada direito e nem nos esforçamos para tanto, a nossa visão é extremamente limitada.

Quando trazemos Jesus para nossas vidas, ampliamos nosso campo de visão, os Evangelhos funcionam como vasodilatadores.

Com Jesus, além de enxergarmos melhor, aprendemos a ouvir sem reclamar, a falar sem deturpar e a jamais ferir ao próximo, as nossas mãos serão instrumentos na construção do belo jardim de Jesus.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.


Silvio Klinguelfus Junior

21 de maio de 2017

ANTES QUE SEJA TARDE...

Domingo chuvoso é um convite para reflexões, especialmente sobre os dias nebulosos que envolvem o Brasil.

Mas enganam-se aqueles, que já acreditam saber o conteúdo deste texto pelo seu início.

Há mais de 4.000 anos a humanidade vem praticando reformas atrás de reformas em suas Leis e mesmo assim continuamos vivendo em meio ao caos que se tornou o planeta terra. Nem os 10 mandamentos até o dia de hoje não respeitamos.

Entretanto, as respostas para tudo, ao menos para mim, se encontram nos Evangelhos, eles nos abastecem espiritualmente.

Para quem acha que Jesus foi uma criação do homem, uma bengala psicológica, para acalmar o coração de um povo que sofria a época com os mandos e desmandos do Império Romano.

Lamento, mas nós somos tolos, pois, não há como o homem ter criado algo com tão alto grau de intensidade, como os ensinamentos morais de Jesus, os quais permanecem atuais mesmo depois de 2.000 anos.

Jesus existiu isto é um fato inquestionável. Agora acreditar Nele ou não, admitir a existência de Deus, de fato, depende de cada um.

Os ateus sempre usam do argumento, que os humildes acreditarem Nele é até compreensível, agora, pessoas cultas e letradas creem na Sua existência, isso sim é algo impossível de se aceitar.

Porém, todos os intelectuais que até hoje se dispuseram a estuda-lo com a profundidade que se faz necessário, chegaram indubitavelmente a conclusão da Sua existência diante das provas históricas e uma grande maioria deles chegam a afirmar que Jesus é o Salvador.

O último que se tem notícia é o Dr. Augusto Cury, aliás, recomendo a leitura dos seus livros, para que através do viés psicológico, possamos entender o quão gigantesco, são os ensinamentos de Jesus.

Diante do espelho da vida, não sejamos dissimuladores, ou seja, agirmos de um jeito e pensarmos de outro.

Jesus o pescador de almas, mudou a minha vida. ...não ficará pedra sobre pedra... Para nós que estamos na terra, à história Dele nos engrandece a alma.

Que Jesus nos abençoe e nos dê a sua Paz, mas que principalmente nos perdoe, pois ainda continuamos não sabendo o que estamos fazendo.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.


Sílvio Klinguelfus Junior

7 de maio de 2017

Remorso e arrependimento.

Mais uma semana que se inicia e o melhor a fazer é seguirmos em frente. Não importa que estejamos alquebrados, falidos, doentes, dilacerados, de coração partido pela traição e por mais qual quer que seja a dificuldade que cada um esteja vivenciando neste momento.

Enquanto não aprendermos que auto piedade não é humildade e sim punição; continuaremos a vivenciar o inconformismo que nos assola, afinal, nada nos serve: o emprego é ruim; a casa é pequena; o carro é velho; o cônjuge é insuportável, e etc...

Já se passaram milênios e continuamos precisando quebrar a cara para aprender alguma coisa. Custamos a entender, que a nossa essência espiritual é o Reino de Deus aqui na terra, o ápice da criação Divina. Somos tal qual raios de luzes há percorrer o tempo e o espaço em busca do caminho. Relutamos em admitir que viemos de Deus e que a Ele retornaremos, cujo caminho, nosso Mestre e Guia Jesus, já nos ensinou.

Sem dúvida se faz urgente e necessário evoluirmos espiritualmente. Deus é para mim tão bom o justo, que nos permite que plantemos o que quisermos, porém, a colheita é inevitável, ou seja, aquilo que oferecemos, recebemos. Simples assim.

Sendo assim, nossas ações dependem do nosso policiamento diário, para não sofrermos de remorso, quiçá, de arrependimento, aliás, Judas e Pedro, ilustram muito bem a diferença entre esses dois sentimentos, afinal, um deles sofreu de remorso e o outro de arrependimento. Fica a dica.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.


Silvio Klinguelfus Junior

30 de abril de 2017

RELACIONAMENTO.

Precisamos ter fé naquilo que estamos procurando, entretanto, precisamos lembrar-nos do nosso passado, dos nossos pais, pois, a vida é uma sequência, sem eles nada seríamos; simplesmente não existiríamos. Todos somos herdeiros, sempre recebemos algo, seja genético, material, intelectual ou espiritual, e assim também é com a fé; depende de nós o que iremos fazer com o que herdamos.

Necessitamos acordar dentro de nós o dom que Deus nos emprestou, o meu despertou, assim, que fiquei sabendo do diagnóstico do câncer, um amigo me estendeu as mãos, me abraçou, tal gesto me transformou, me ensinou a persistir, criou uma fortaleza em mim, passei a brigar constantemente com o meu maior inimigo, que sempre esteve ali, tão perto, eu mesmo; até conseguir a aprender a começar a amar e ai dá-lhe persistência novamente.

Aprendi e apreendi que devemos nos importar mais com as pessoas do que com as coisas; quando passarmos a agir dessa maneira, diminuiremos drasticamente os nossos erros. Para um cara que era essencialmente materialista, dar um testemunho desses, poderia ser motivo de vergonha, só que Ele é tão transformador que é impossível envergonhar-se, se omitir. Mais ou menos assim: - Silvio pare de julgar, vá e faça a sua parte, no tempo que tem que ser feito, não tenha pressa e não se iluda mais.

Para quem acredita que após a tomada de consciência, tenha sido fácil ou ainda o seja, não se iluda, o trabalho é árduo, luta renhida, aprendizado diário, mas cada pequena vitória é extremamente gratificante. Tenho ainda inúmeras dificuldades a serem superadas, mas tudo há seu tempo, quiçá, relacionamento seja uma delas, aliás, relacionamento verdadeiro é amor, ele pode até se abalar, mas se sustentado pelo amor, se fortalece depois das tempestades, agora, se for superficial, afunda.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.

Silvio Klinguelfus Junior

ps. Gratidão ao Dr. Haroldo Dutra, pelas palavras que calaram fundo em meu coração.

16 de abril de 2017

RESSURGIR


Outro dia disse a um amigo, que há pessoas por quem nutrimos uma afeição especial, sem explicações, enfim, coisas de Deus. Meu amigo Guto se enquadra nesse quesito, inacreditável como as coisas que ele fala tem a capacidade de tocar o meu coração, tudo dito de uma forma tão singela e de tão leve faz meus pensamentos viajarem. Por isto e por todas as vezes que durante as nossas conversas me mostrou ser possível enxergar o mundo por outra perspectiva, sou lhe grato Guto.

Como nada é por acaso, em minha mensagem de Páscoa de hoje cedo, usei como analogia a pedra que Jesus removeu e que oprimia meu coração. E vem ele e me diz: essa pedra representa tudo de impossível para nós, que Jesus já a removeu, mas que infelizmente demoramos em perceber que somente Deus é a rocha onde a nossa fé se torna sólida.

Assim, quando formamos dentro de nós a convicção da continuidade da vida, a nossa perspectiva muda, passamos a ser mais serenos, ao nos tornarmos conscientes do Amor de Deus, passamos a encarar as nossas dificuldades e problemas, os quais podem parecer intransponíveis, mas com certeza serão superadas, enfim, como tudo, passará. Dessa forma, crescemos todos.

Jesus é o nosso modelo e guia, somos todos filhos de Deus. Da mesma forma, que ficamos felizes quando os nossos filhos se tornam pessoas dignas e nos apressamos a dizer que eles são resultados dos nossos atos, provavelmente Deus, fique feliz com as nossas atitudes, gestos e pensamentos.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.

Silvio Klinguelfus Junior.


9 de abril de 2017

Qual será a nossa utilidade?

Muitos que me conhecem, seja pessoalmente ou por aqui, sabem que sempre digo que estou em moratória, que Deus por algum motivo me concedeu um tempo extra aqui na terra deve ter lá os Seus motivos. Nesses anos extras, tive a oportunidade de conviver com outras pessoas que assim como eu, sobreviveram às ditas doenças terminais cujo destino dado como certo seria o túmulo.

O interessante disso, é que para a maioria esmagadora das pessoas envolvidas nesses casos, foi como se todos nós voltássemos a enxergar. Inacreditável, como todos possuíam uma rotina em comum, os depoimentos se sucedem e se trocássemos os nomes dos autores nos mesmos, muitos achariam que eles seriam seus de tão iguais.

A maioria de nós seguia presa a uma rotina totalmente improdutiva, a qual nos mantinha na escuridão/cegueira total, impedindo-nos de descobrirmos caminhos novos, espiritualmente falando. Éramos constantemente atacados por nossos três inimigos íntimos: orgulho, egoísmo e ignorância; e sem preparo para enfrenta-los, deixarmo-nos ser conduzidos por eles, causando em nós prejuízos morais, a indiferença, nos tornando ociosos e prisioneiros do lar, mas principalmente preguiçosos para os trabalhos do Pai.

Enfim, estávamos absolutamente enfermos, doentes da alma, vivíamos no individualismo, no erotismo desmedido e no consumismo exacerbado. Se alguém que me lê neste momento se identificar com essas palavras, consulte um médico, você deve estar prestes a sofrer de alguma doença grave.

Para esse grupo que ganhou esse tempo extra aqui na terra, o ponto em comum, é que todos acreditam que se aqui permaneceram deve ser porque há algum motivo, assim muitos chegam as suas próprias conclusões e no final todas se convergem para uma única direção: Deus.

A minha conclusão é que se eu fiquei é porque devo ter algo de especial para fazer por aqui.  Para mim, talvez a minha missão seja “viver Jesus”.

Veja bem, essa é a minha opinião. Diante do ocorrido comigo, não há como ficar indiferente a Jesus, mesmo sem Ele nunca se impor ou exigir nada de mim, ao senti-lo tão perto fez meu coração explodir de emoção a gritar por Ele, foi o que bastou para eu voltar a enxergar.

Infelizmente muitos veem, mas não enxergam. Dessa forma, lembre-se de apreciarem os ensinamentos do Pai com a razão e a lógica, não há nada de errado nisso, mas, principalmente com bondade, com o coração e bom-senso.

Talvez, chegará o dia em que todos nós iremos nos ajoelhar e implorar.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.


Silvio Klinguelfus Junior

26 de março de 2017

Voltarmos ao eixo...

Esse que vos escreve nada mais é que um mero interprete dos ensinamentos do Pai, a única diferença entre nós, se é que ela existe, foi que aprendi do modo mais difícil sobre a necessidade da nossa transformação. Sempre digo que precisei da dor, mas, que fiquei pelo amor.

Assim, diante de todo um aprendizado advindo de diversas viagens ao submundo da minha alma, hoje sei da necessidade da constante vigilância íntima, para não dizer, da necessidade da constante limpeza interior.

E durante essas viagens, aprendi que se quisermos ser melhores, precisamos obrigatoriamente fazer coisas melhores para a nossa vida. Precisamos ter postura e pulso firme para a administrarmos. A própria vida nos impõe restrições, dessa forma, se não mudarmos os nossos pensamentos na busca pelo entendimento, provavelmente seremos tomados de assalto pelos vícios e pela drogadição.

Como ensinou Jesus: "Vós sois o sal da terra e luz do mundo", na minha concepção, somos, enfim, o tempero que dá sabor àqueles que nos rodeiam e também a luz a iluminar os seus caminhos. Quando isso acontece com um de nós, significa que passamos a possuir a mansuetude que Ele nos falou, cativando àqueles que nos vêm pela primeira vez, através dos nossos exemplos, na busca de sempre fazer o nosso melhor no caminho do bem.

Ler textos edificantes, nos ajuda a desenvolvermos o espírito crítico e “Cristico” dentro de nós, evitando ficarmos presos e apegados a cadáveres ideológicos. Nossas idéias e ideais precisam ser ressignificados, caso contrário envelhecemos e morremos ainda vivos.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior


20 de março de 2017

Força transformadora.

A vida é uma espiral infinita, composta de ciclos, há momentos que estamos por cima e em outros por debaixo, e assim caminha a humanidade.

Para mim, do ponto de vista econômico, já estamos no fundo do poço, desta forma, podemos optar em ali ficar chafurdando um pouco mais na lama ou começarmos gradualmente a escalada rumo à luz que brilha lá no alto.

A economia em sua essência sempre foi um grande jogo de interesses e desde a Revolução Francesa, com o seu grito de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, o mundo parece cada dia mais o ignorar. Talvez devêssemos substitui-lo nesse novo momento pelo qual estamos passando, por Esperança, Fraternidade e Bom-senso.

É óbvio que o mundo necessita de mudanças e transformações positivas, uma vez, que elas (transformações) nunca deixaram de existir, só que atualmente são negativas e tudo acaba por se transformar em corrupção moral.

Precisamos abandonar urgentemente essa história que amanhã seremos felizes, aliás, desde que eu me conheço por gente, ouço que o Brasil é o país do futuro, e se continuarmos a pensar dessa maneira, nunca daremos certo, pois a felicidade está no momento presente.

Portanto, sigamos na linha do bem, com certeza sofreremos apedrejamentos durante a caminhada, não nos importemos, perdoemos. Afinal, quem não precisa perdoar e ser perdoado?

Chega de remorso, acreditemos, pois na força do Amor, ela representa a Paz na terra e sua linguagem é sem dúvida transformadora tal qual Jesus nos ensinou.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.


Silvio Klinguelfus Junior

14 de março de 2017

QUANDO EM ORAÇÃO...


Que a Paz e o Amor de Jesus Cristo preencham o coração de cada um de vocês, tal qual faz comigo nesse momento.

Existem situações em nossas vidas que parece não haver saídas, principalmente quando o desespero toma conta dos nossos pensamentos e tudo passa a ser escuridão.

E ali na penumbra da alma, no recôncavo mais profundo do nosso ser, quando nada mais parece ter jeito, começamos uma prece tímida, mas sincera, desnudos de todo orgulho e hipocrisia, de repente do alto começam a descer energias benfazejas guiadas pela Luz que irradiamos quando em prece. Ao nos conectarmos, temos diante de nós toda a sabedoria e o Amor de Deus e a certeza que nunca estivemos sozinhos invade a nossa alma, arrebatando-nos da escuridão.  

Sempre me questiono, quando na oração do Pai Nosso relutamos a compreender a expressão: “seja feita a Vossa Vontade”; qual será a parte que não entendemos? Inacreditável como nos falta fé para compreender que o Pai sempre quer o nosso melhor, que além de Justo é também Amor e Bondade, assim, pedimos aquilo que queremos e Deus nos envia o que necessitamos. Enfim, em seja feita a Vossa Vontade, em momento algum estamos pedindo para sermos poupados.

A vocês meus amigos, se serve de consolo, descobri que nunca é tarde demais, Deus e Jesus estão logo ali, à apenas uma prece sincera de distância.

Que assim, quando em oração que brilhe a Vossa Luz!

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.

Graças a Deus, graças a Jesus.


Silvio Klinguelfus Junior

5 de março de 2017

VIVER PERENE


Se analisarmos a atual situação do Mundo sob o ponto de vista histórico, acho que estamos na iminência de uma grande transformação, são conflitos, guerras, perseguições étnicas e religiosas, corrupção em todos os níveis, enfim, um verdadeiro pandemônio que parece não ter fim. Ainda historicamente falando, tudo que o homem construiu até agora, em um primeiro momento se desenvolve para depois ruir nas areias do tempo. Basicamente tudo acaba sendo reciclado, sofre logicamente um processo de alteração e acaba por fim melhorado. Quem sabe, tudo o que está acontecendo na atualidade nos forçará a uma mudança de mentalidade.

Gosto de uma frase muita usada por ambientalistas para incentivar as pequenas ações, que diz: “aja localmente, pensando globalmente”, assim devemos nós também agir, cada qual fazendo a sua parte. Desta forma, não postergue mais a sua vida, pois, mesmo sendo um velho chavão, amanhã poderá ser tarde de mais. Deixe de ser passivo, um mero contemplador do tempo, não se deixe levar pelo barulho ensurdecedor do mundo, não tenha medo dele e das pessoas (suas companheiras de viagem), em outras palavras, não sejamos covardes.

Que tenhamos: coragem para mudar o nosso status quo; coragem para amar; coragem para viver com satisfação; coragem para não nos enganarmos pelas ilusões que o mundo dos homens nos oferece; coragem para deixar de vivermos 24h na mentira dessa ilusão e do isolamento que ela trouxe.

Que deixemos para trás esse sentimento de vingança e revolta a que erroneamente chamamos de justiça, e que possamos juntos caminhar para esse novo mundo, lembrando sempre que o Deus que nos une é maior do quer que seja que nos separe.

Como diz um velho ditado japonês: “Os caminhos que sobem a montanha podem ser diferentes, mas no topo pode-se ver a mesma lua”.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.


Silvio Klinguelfus Junior.

1 de março de 2017

PROBLEMAS

Problemas, quem não os tem? Não é fácil para a maioria de nós, acordar e ter que sair para o trabalho carregando um peso enorme nas costas e com preocupações de toda ordem. Pior ainda, se, além disto, carregarmos também em nossos corações, o peso de todas as nossas frustações familiares muitas das quais alimentadas pelo orgulho e inveja.

Reclamar dos problemas, quem nunca o fez? Somos humanos, portanto, falíveis, vivemos caindo e levantando, errando e acertando. Porém, precisamos aprender com as quedas, para que durante a nossa breve existência elas diminuam gradativamente.

Assim, diante de qual seja ao problema que te aflija neste momento, lembre-se, tudo passa. Sei bem, que muitas vezes essas provas são dolorosas e quase insuportáveis, porém, eu aprendi também que o sofrimento é opcional. As altas temperaturas a que somos sujeitados durante esse processo, nos ajudam a forjar o nosso caráter e a nos despertar para a realidade que realmente importa.

Quando a ignorância deixa de fazer parte do nosso dia a dia, tudo fica mais leve, os problemas continuam os mesmos, porém, a forma de encará-los é completamente diferente, aprendemos que as nossas angústias são basicamente as mesmas e que quando as compartilhamos ficam mais fáceis de serem resolvidas. É óbvio que ao deixarmos a ignorância, seremos cobrados de uma forma mais dura, pois, não mais poderemos recorrer a essa desculpa, tal qual uma muleta para alma.

Não se preocupem, se você está lá atrás ou ainda muito a frente dos seus companheiros de viagem, todos sem exceção chegarão ao destino, cada qual a seu tempo, se por acaso já deixastes a ignorância para trás, não tente ajudar aqueles que não o querem, procure dar exemplos através dos seus gestos e atitudes, quiçá, até mesmo com seus pensamentos, isto sim os ajudam a acelerarem os passos.

Bom, já estou me sentindo melhor depois desse desabafo, problemas e angústias compartilhados, vamos embora para mais um dia de trabalho e gratidão.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.

Silvio Klinguelfus Junior.



19 de fevereiro de 2017

METANOIA.

Fico receoso ao enviar meus textos, que alguém os interprete como sendo para si, quando na realidade (já escrevi sobre isso por aqui), meus textos são frutos das minhas reflexões íntimas, portanto, em essência, são escritos para mim mesmo. Acho prudente sempre trazer esse assunto à tona, dado o número de vezes que me questionam se determinado texto foi específico para alguém.

Isto posto, o título deste texto traz a palavra “metanoia” a qual tem origem grega, e expressa mudança de comportamento ou mentalidade. Eu, assim como a imensa maioria de nós, nunca havia dado maior importância à vida e aos valores que transcendem a matéria. Não se iludam, cedo ou tarde, chegara o momento em que seremos chamados a refletir sobre esses temas, o ideal é que nos preparássemos para quando ocorrer, mas, infelizmente não foi diferente comigo.

Enfim, tome uma decisão sensata na sua vida, valorize-a. Compreenda que estamos de passagem por aqui, que os bens materiais são transitórios, já os espirituais são permanentes; o dinheiro torna os homens ricos, o conhecimento transforma os homens em inteligentes e a humildade nos traz sabedoria*, assim, aprenda a servir, procure evoluir espiritualmente, sempre subordinado a Lei do Amor. Podemos até ter o conhecimento sobre muitas coisas, mas, se não soubermos amar, de nada adiantará. Simples assim.

Há sem dúvidas, várias formas para nossa mudança íntima, algumas até se parecem com receitas de bolo, fórmulas químicas e até mesmo mágicas, entretanto, ela depende exclusivamente de nós, do nosso esforço em querer mudar em nos autoconhecermos, e nada melhor que nos guiarmos através de exemplos concretos, e o maior de todos para mim, sem dúvida é Jesus.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.


Silvio Klinguelfus Junior

ps. Grato como sempre ao Dr. Plínio e as suas palavras maravilhosas que sempre tocam o coração.

* Adaptação: "O dinheiro faz homens ricos; O conhecimento faz homens sábios; A humildade faz Grandes Homens. Mahatma Gandhi."

11 de fevereiro de 2017

Sobre o passado...

Relembrando a minha vida, não me recordo de ter passado nela alguma necessidade, Deus foi bom demais para comigo. Antes que comecem a crucificação, só para que fique bem entendido, que quando digo: necessidade alguma, diz respeito à nunca ter vivido na miséria total e passado fome, entretanto, a minha vida e dos meus irmãos sempre foi justa, ou seja, sempre tivemos exatamente o necessário, nada mais, em qualquer que seja o quesito a ser analisado, não importa se material ou emocional.

Atualmente tenho a absoluta certeza que viveria muito mais feliz somente com o extremamente necessário e isso nada tem a ver com apologia a pobreza e sim com a simplicidade das coisas. Em algum momento, nós ficamos frescos demais, nada pode atualmente, basta apenas uma palavra mal colocada e já é motivo para reclamações, nós e nossos familiares em sua maioria vivíamos sem floreios, todos sabiam o que tínhamos que fazer para ser alguém decente na vida, das dificuldades da família e do esforço conjunto para se adquirir alguma coisa, quiçá, conseguir formar um filho na universidade, todos nós limpávamos a bunda com papel higiênico primavera, leia-se lixa e que eu saiba ninguém morreu.

Criávamos galinhas no quintal que eram alimentadas com restos de comida e alguns insetos que elas encontravam, aliás, não só elas o nossos cachorrinhos também, pasmem, comiam até ossos de frango, engasgavam, mas tenho a sensação que eles também eram mais felizes. Os almoços de domingo em sua maioria eram acompanhados da boa e velha macarronada e da famigerada, mas, saudável laranjada servida em jarra plástica, e, é claro que não podia faltar o prato principal o frango criado no quintal. Confesso que já chorei quando soube que o almoço era o “garnisé” que eu vi nascer e crescer e também ri muito da cara de nojo da minha irmã por ter que comer uma daquelas galinhas, uma vez que no dia anterior havíamos presenciado elas (galinhas) participarem de um banquete com baratas.

E hoje? Damos tantas coisas para nossos filhos, incluindo ai amor em demasia, proteção em excesso e broncas de menos; matamo-nos de trabalhar para conseguir coisas que depois ficam jogadas por um longo tempo antes de virarem lixo; parece que nada mais tem graça para nossos filhos. Nós deixamos o mundo sem graça para eles, criamos uma geração sem ambição, pois, tudo ficou muito fácil, sem cor, e por mais paradoxal que possa parecer, para eles o pouco com luxo lhes basta.

Inacreditável, não é? Uma inversão tremenda de valores. Ultimamente diante da crise que assola a todos no Brasil, venho infelizmente presenciando o sofrimento de alguns amigos pela cobrança que fazem de si mesmos, por não poderem dar aos seus filhos aquilo que não tiveram, e, entretanto, se esquecem de dar a eles o que tiveram.

Uma pena. Sofremos todos, pais e filhos.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.

Silvio Klinguelfus Junior





22 de janeiro de 2017

Simplicidade, cotidiano e reclamações...

Há pessoas que mesmo através de uma simples conversa, conseguem externar de forma tão clara seus pensamentos, que são capazes de nos mostrar coisas tão óbvias que fazemos no dia a dia sem percebermos e que vão aos poucos nos minando; assim é o meu amigo Carlos Augusto, sempre nos ensinando através das coisas simples do cotidiano.

Segundo ele, na média somos todos bons, especialmente nas grandes coisas, porém, frequentemente falhamos nas coisas pequenas do dia a dia, e foi justamente ai, que nessa conversa entre amigos a minha casa literalmente ruiu. Risos.

Sobre murmurações, eu tenho esse defeito, vivo reclamando quando alguém deixa de cumprir alguma coisa para comigo, que em tese, em última análise, seria de minha exclusiva responsabilidade; reclamo também quando as sequelas físicas que ficaram em mim depois do tratamento, me impossibilitam de algo, esquecendo-me que eu tenho muito mais a agradecer. Agora, o que realmente me deixa possesso, é uma simples e corriqueira fechada de trânsito, sai de baixo.

O que eu estou querendo confessar a vocês, que às vezes, fico descontente com aquilo que acontece comigo em determinado momento e imediatamente começo a reclamar. Já escrevi que não devemos ser passivos diante das situações que nos apresentam, e sim pacíficos, pois, basicamente não adianta resistir àquilo que já é um fato. Podem observar, somente conseguimos resolver nossos problemas quando nos acalmamos e isso invariavelmente acontece quando deixamos de reclamar.

Quando os nossos pensamentos e a nossa forma de agir estão em sintonia, tudo flui naturalmente, já ao contrário, nada parece funcionar. A nossa conexão com o Pai, depende desse nosso equilíbrio, quantas vezes achamos que estamos sendo sinceros, como por exemplo, ao dizer a alguém o que pensamos a seu respeito, sem a devida reflexão, acreditem isso não é ser sincero, é ser mal educado mesmo. As palavras ferem tanto quanto agressão física, por isso, é imprescindível medi-las, ou seja, passar primeiramente pelo filtro do coração antes de manda-las para a boca.

Não é fácil assumir os nossos defeitos para nós mesmos, inclusive é algo raro de se ver; dessa forma, acabamos dependendo quase que exclusivamente da misericórdia Divina, para seguirmos em frente, chega a ser triste.

Sendo realista, o mundo em que vivemos anda meio tumultuado, para não dizer doente, e, diante desses desajustes, fico pensando sobre o que realmente eu quero para a minha vida: ser um filho do mundo ou um filho de Deus? Será que eu quero me ajustar a esse mundo ou seguir um caminho diferente?

Parece que quando tentamos vivenciar o Evangelho, nos sentimos meio desajustados, entretanto, ao mesmo tempo, sempre nos achamos melhores que os outros, os donos da verdade e nos esquecemos de que somos apenas mais um ser-humano no planeta. Sei lá...

Precisamos reter em nossos corações a Palavra da Vida. Atenção: reter significa guardar, conservar, segurar, lutar para não perder; assim não basta ouvir a Palavra da Vida para nos tornamos melhores, é necessário como em tudo em nossa vida, que para algo de certo, muito esforço e dedicação.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.

Silvio Klinguelfus Junior


19 de janeiro de 2017

Solidão, solidariedade e caridade.

Se a dor do outro te incomoda, parabéns, você já aprendeu o que é solidariedade; agora se você faz algo para que o outro tenha a sua dor amainada, isto é caridade.

Um abraço ao necessitado; uma palavra de carinho ao enfermo; um minuto da tua atenção ao idoso; um olhar de compreensão ao deficiente; um afago a uma criança. Eis uma das formas mais simples de exercer a verdadeira caridade, doar-se de si mesmo.

Como todos já estão acostumados com as minhas reflexões, gosto de trazer os temas para a minha realidade e passa-los pelo filtro do coração, assim, impossível não se emocionar com situações por mim vivenciadas nos últimos meses.

Posso dizer que não há dinheiro no mundo que pague por um abraço sincero, pela visão privilegiada de poder enxergar tão de perto a emoção estampada em olhos marejados e igualmente receber um beijo na face carregado de gratidão.

Sim, isso é o que realmente importa na vida, o resto faz parte do pacote, é claro que devemos: cuidar, zelar e até mesmo multiplica-los, pois isso demonstra gratidão e respeito com aquilo que nos foi singelamente emprestado, cuja administração enquanto estivermos por aqui deve ser a mais responsável possível, principalmente no âmbito social, porém, o que efetivamente iremos levar depois que partirmos é de nossa única e exclusiva responsabilidade, eis ai o nosso verdadeiro tesouro, o quanto você efetivamente se dou ao próximo.

Ainda é possível, vamos sintonizar o bem, abandone o egoísmo da solidão, deixe de ser o autor de tantos desequilíbrios em nome de um orgulho falido e passe a ser o agente que harmoniza a vida, a ser verdadeiramente você e não mais alguém que queiram que seja.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior.


8 de janeiro de 2017

SACUDIR O PÓ.

Começo esse ano com o botão gratidão apertado, aliás, escrever nesse período, sem cair na mesmice, chega a ser desafiador, assim, o negócio é sacudir a poeira e pé na estrada.

Recentemente, pedi vibrações positivas por um grande amigo, que foi pego de surpresa, nessas peças que a vida costuma nos pregar e colocado na lona por uma doença que foi avassaladora; hoje estou aqui para agradecer a cada um de vocês que atenderam ao meu pedido, pois esse meu amigo está bem e em franca recuperação.

Há pessoas que através dos seus questionamentos acaba por nos dar a oportunidade de esclarecê-los, ajudando assim não apenas a elas, mas também a muitos outros que pensam de forma semelhante. Uma delas me perguntou como é possível enviar essas vibrações positivas para determinada pessoa.

Perguntei-lhe, como ela faz para enviar um e-mail à determinada pessoa, no que ele me disse que acessava a internet com o seu login e senha, enviando uma mensagem para o endereço eletrônico desta. É exatamente assim que funciona com as vibrações (orações), o Universo (Deus) é a Internet espacial por onde trafegam energias disponíveis a todos, para acessá-la, basta pensar em Deus e pronto já está conectado e a sua senha é o seu próprio pensamento já salva no WI-FI Divino, cuja eficiência da conexão depende única e exclusivamente da sua emoção.

Dessa forma, inicio o ano de 2017, agradecendo pela recuperação do meu amigo; pelo novo ciclo que se inicia na vida da minha filha, agora, uma universitária; pela prorrogação da minha estadia aqui na terra; enfim pela saúde da esposa amada, família e amigos queridos.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe hoje e sempre.


Silvio Klinguelfus Junior.