Deus tocou o meu coração e minha alma,
abrindo meus olhos para a verdadeira essência da vida.

29 de julho de 2012

Reencontros de velhos amigos...


Reavivar velhas amizades é como abrir um vinho de uma boa safra, que estava guardado na Adega, e de repente ao abri-lo, somos invadidos por cheiros e sensações do passado, que nos remetem àqueles momentos felizes, arquivados em nossas memórias.

Por incrível que pareça, o mundo virtual, além de me proporcionar novos amigos, trouxe a possibilidade de reencontrar os velhos companheiros, que inexplicavelmente foram guardados na Adega do Coração.

É muito legal poder conversar com amigos, depois de 20 anos ou mais, de quase nenhum contato, e ver que você ainda possui muitas coisas em comum, que ambos gravaram em suas memórias os bons momentos vividos, e basta apenas um olhar, um sorriso, e lá estão de volta todas as recordações, como se tivessem sido vividas ontem.

Esse hiato temporal, quando estamos juntos, parece não haver existido, e é automaticamente preenchido pelas boas lembranças.

Honestamente até me surpreendo com algumas recordações dos meus amigos, de tão boas que elas são sobre a minha pessoa; disse outro dia a um deles, que isso me deixava muito feliz, entretanto que achava que eu devia estar embriago, pois não me lembrava delas. E ele me respondeu: - Literalmente a modéstia, pinga ai... Ri muito alto é claro.

É fato, que a vida nos levou para caminhos diferentes, todos tivemos que defender o nosso pão do dia a dia, alguns bem longe, e outros nem tanto assim, constituímos famílias, realizamos sonhos, e infelizmente deixamos o mato crescer e esconder a trilha que nos levavam a tantas amizades queridas.

E agora com a ajuda da tecnologia, esses caminhos são novamente descobertos, e a trilha começa a ser refeita, reaproximando agora os já velhos dinossauros...

Meus eternos amigos é um privilégio tê-los ao meu lado; longas jornadas nos aguardam.

Prometo a mim mesmo, todos os dias, com a ajuda de Deus, a capinar o mato que insiste em crescer na trilha das nossas amizades.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior

22 de julho de 2012

RENOVAÇÃO


Tenho um amigo, que enfrentou há alguns meses, um problema no coração, que segundo os médicos que o atenderam, o seu quadro inspirava cuidados, mas que se bem tratado, não morreria daquilo. Ocorre infelizmente, que esse meu amigo, está em um evidente quadro de depressão; desde o ocorrido, percebesse claramente que ele se entregou.

Provavelmente esteja desequilibrado, talvez porque, como muitos, pensa também, que o coração seja o único órgão que possuímos, e que qualquer problema nele, por mais simples que o seja, é o nosso fim.

Já disse aqui outras vezes, que cada um sabe da sua dor, portanto, reconheço que ele esteja sofrendo, provavelmente muito mais de qualquer outra pessoa já possa ter sofrido, entretanto, se não bastasse o fato de não sermos apenas coração, e sim um todo formado por bilhões de células interligadas.

Nós, somos além do corpo, “ALMA”.

Como tive o prazer de aprender com o médico psiquiatra Dr. José Luiz Condotta, o binômio “ansiedade” e “depressão” é uma verdadeira bomba atômica, para o coração.

Continua ele, que quando estamos com um problema de saúde, entre eles os relacionados ao coração, logo procuramos um médico cardiologista, que invariavelmente depois de uma boa bateria de exames, nos prescreve os medicamentos necessários para tratarmos do corpo, e quase sempre complementa, que devemos diminuir o “STRESS”.

E é ai exatamente segundo ele, aonde a “coisa” começa a pegar. O médico pede para diminuirmos o stress, mas não explica o que efetivamente ele o é; então que cada um se lasque, e descubra por si só, qual a causa e o que seja esse negócio de stress.

Os médicos em geral, tratam apenas o corpo, e esquecem de que não somos apenas matéria, e que raiva, irá, ódio, depressão, ansiedade, e outros congêneres, não são doenças do corpo. Será que alguém dúvida disso?

Portanto o stress é algo muito difícil de ser tratado, pois lida com a alma, e isso para os médicos, não é problema deles.

Assim sendo, o stress, trata-se de uma condição espiritual; causada por acontecimentos marcantes em nossas vidas, alguma coisa difícil de suportar, que nos levam a reações emocionais, pensamentos ruins, estados infelizes.

Então como resolver esse problema; como iremos assimilar essas emoções (stress); tudo irá depender do grau de rigidez de cada um, ou seja, se não tivermos equilíbrio, basta apenas uma única emoção, para desencadear em nós um processo depressivo.

O principal para combater o stress, é o autoconhecimento; conscientizarmo-nos, que somos mais que matéria, que somos “alma”, que temos imperfeições; reconhecer as nossas falhas é o primeiro passo para o caminho da cura; mudarmos os nossos hábitos; renovarmo-nos.

A palavra é exatamente essa “RENOVAÇÃO”. Vamos todos pensar nessa renovação; em como enxergar esses fatos marcantes, te tal forma que eles não nos preocupem mais.

Quando escolhemos o caminho do “Senhor”, nos matriculamos na Universidade da Fé, e temos que ter em mente, que nunca iremos nos formar, pois o processo de conhecimento é infinito.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior

 Ps. Afeto é a soma dos sentimentos e das emoções.


14 de julho de 2012

ORGULHO, VAIDADE E EGOÍSMO.


Sentar a bunda no sofá, e ficar esperando as coisas acontecerem, é muito fácil, muito cômodo, se algo nos incomoda, simplesmente fingimos que não é conosco, ou fazemos algumas adaptações.

Infelizmente a grande maioria, prefere ao comodismo a ter que alterar o status quo em que vivem. É como se a razão tivesse sido inibida; parece que fomos treinados para não questionarmos.

Com o crescimento econômico, passamos a ter mais acesso a bens materiais; mas parece que sempre falta algo, um vazio, que não preenche a alma.

Primeiramente precisávamos lutar para nos sustentar, conseguir o pão de cada dia, atingido esse objetivo, começamos a almejar o poder, posição social, conforto material, e quando conquistamos esse também, a vida parece cair no vácuo das futilidades.

Esse mesmo crescimento econômico trouxe também a democratização do conhecimento, mas infelizmente ao que tudo leva a crer, mesmo com essa quantidade de informações que essa geração recebe se comparada com a minha, por exemplo, é infinitamente maior; mas nossos jovens parecem extasiados, vivendo apenas de sensações sem sentido.

Uma médica disse outro dia em uma entrevista, que o principal divertimento dos jovens de hoje, é ir a danceterias, que invariavelmente são lugares escuros e com o som ambiente muito alto; simplesmente porque ali eles podem esconder o seu vazio existencial, seus defeitos, já que não é possível de se conversar; um grande trunfo, uma vez que esses jovens não tem assunto. Então para não abrirem a boca demais, nada melhor do que beijar. O resultado de tudo isso é que mesmo estando tão pertos, estão ao mesmo tempo tão distantes um do outro.  

Então de que adianta ter estabilidade e poder, e não ser feliz. Qual o sentido da vida?

Quando passamos a nos questionarmos, ou melhor, quando entendemos, que o que realmente importa para nossa auto-realização, é o nosso lado espiritual, o lado da ação social, é como se déssemos um salto na nossa evolução.

A principal barreira para a realização desse salto é a conjugação fatal, do orgulho, da vaidade e do egoísmo, ou seja, nós só vemos o que queremos ver, fazemos de tudo para não enxergar a realidade em que vivemos.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior



- Orgulho: é quando você se acha melhor que os outros;

você é o melhor e não importa o que os outros pensem.



- Vaidade: você quer que todos saibam disso;

o vaidoso até não se importa em ser, mas ele tem que parecer.



- Egoísmo: primeiro eu, depois os meus e aos outros nada.

9 de julho de 2012

“PACIÊNCIA, PIEDADE E PERSEVERANÇA”.


Nessa quase véspera do meu aniversário (11/07) em que completarei 44 anos de existência, e como eu costumo e gosto de dizer, completarei 03 (três) anos dessa minha nova vida.

Não quero presentes, muito menos qualquer tipo de reconhecimento, quero sim, é agradecer a cada um de vocês, que me acompanham nesse blog há quase dois anos, e também a todos os meus amigos e familiares, que em algum momento, elevaram seus pensamentos em oração por mim. Agradeço de coração, pois sem a ajuda de vocês meus irmãos, não sei se estaria hoje aqui, para contar histórias.

Dessa forma, sou eu um eterno agradecido a todos, e nesse meu aniversário, eu gostaria de presentear a cada um de vocês, com um forte abraço, um beijo, e com este humilde texto; que ele consiga penetrar os seus corações, com a mesma emoção que estou sentindo nesse momento, em que palavras brotam juntamente com lágrimas.

A palavra – Que instrumento maravilhoso Deus nos concedeu, eficaz meio de comunicação, de transmitir os seus ensinamentos; mas será que a utilizamos da forma correta?

Quando aprendemos, ou melhor, compreendemos as Leis Divinas, nos tornamos mais confiantes em Deus, e também mais tolerantes, mais indulgentes, com nossos irmãos, que se encontram momentaneamente equivocados, que iguais a mim e a outros tantos já estivemos e talvez ainda estejamos.

Hoje eu posso dizer, sem vergonha, sem medo de ser hipócrita, que tudo o que não vem de Deus, está fadado ao desaparecimento. Só Deus brilha infinitamente. Isto é pressuposto, de quem está com Deus não cai.

Invariavelmente sofremos, porque teimamos em não nos alinharmos com Deus e suas leis, nossos atos, na maioria das vezes, estão em desacordo.

Acreditamos que somos fortes sozinhos, que nosso corpo físico é a nossa fonte de energia, que nossos músculos são poderosos e infalíveis, que não precisamos de Deus. Triste engano, pois na realidade, a nossa verdadeira força, não está no corpo, e sim na alma de cada um de nós, nos nossos atos, e na intensidade do nosso amor por Deus.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior



Ps. Hoje eu ouvi uma frase que eu gostei muito:

“Viver é fácil, o difícil é conviver”.

Pura verdade, conviver, é uma tarefa árdua, na qual precisamos sempre exercer a:

 “PACIÊNCIA, PIEDADE E PERSEVERANÇA”.

1 de julho de 2012

NOSSOS ATOS... (mais um texto da série “dias especiais”)


Há algum tempo, que não escrevia sobre a série “dias especiais”; como graças a Deus, venho me recuperando, mesmo que lentamente, os dias melhores, começam a tornarem-se mais frequentes; entretanto, existem dias, que se sobressaem, que extrapolam a minha atual realidade.

Dias como o de hoje, para mim, é um enorme prazer, pois não existe nada melhor que a realização, e isso pode ser aplicado para tudo em nossas vidas, pois sem sombra de dúvida, que o ato de realizar é o que concede a satisfação.

Muitos, podem não compreender, como o simples ato, de ir a uma reunião aos domingos de manhã, pode ser considerado uma vitória, ou ainda:

- um jantar em um restaurante com a família;

- uma partida de qualquer jogo com a tua filha;

- um passeio de moto em um dia ensolarado acompanhado da pessoa que você ama;

- um almoço de domingo;

Tudo isso sem dor, sem desespero, sem preocupações, são esses acontecimentos que realmente importam, eles não tem preço, infelizmente, muitos acreditam que coisas assim, não são nada demais. Mas experimente ficar sem fazê-las por anos.

Muitas vezes, conversando com pessoas, que vão a missas, cultos, palestras e tudo mais, muitos dos quais, mais de uma vez na semana, você percebe, que na essência não mudaram absolutamente nada; basta reparar nas atitudes, nas palavras, nos gestos; aquele que realmente entende o significado, não pode continuar cometendo os mesmos erros.

Questiono-me sempre, se realmente as pessoas querem mudar, ou simplesmente, estão ali para cumprir uma obrigação moral consigo mesmas, como se o simples fato de estar presente, apagasse os seus atos. Afinal para que se comprometer, não é mesmo?

Mas chegará um dia, como aconteceu comigo, que soará a ampulheta da consciência, e a palavra de ordem será renovação, e o desejo genuíno de melhorar pulsará na alma; pois o nosso tribunal da consciência individual, nos quer como cidadãos modelos, honestos e comprometidos com o bem, e não simplesmente cobertos pelas mascaras sociais.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe.

Silvio Klinguelfus Junior